Arquivos

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




BLOG DAS LETRAS
 


A importância da Academia de Letras de Xinguara

g2    A importância da Academia de Letras de Xinguara.

Por Gleibson Madeira

 

      A importância

 

         Para conhecer a importância da  Academia de Letra de Xinguara, e preciso conhecer sua história.        História que tem várias versões. E essa é uma das versões  e de sua importância para mim.

 

 

       História da Fundação

 

        Conheci o Presidente da ALEX, Renato Soares, em 2005, quando trabalhava na Prefeitura Municipal   de Xinguara como Assessor do Prefeito e Professor José Davi Passos, quando enviei  um convite ao Sr     Renato Soares. E este convite foi o que nos levou a uma ardente discussão sobre a língua   portuguesa    e como conseqüência ao inicio de uma bela amizade, por nós valorizarmos a cultura.

 

 

 

Eu

 

Eu sou um homem simples do povo, cultura mediana, linguagem também mediana. Com acertos e erros na grafia e gramática. Mas, apaixonado por leitura e defensor guerreiro dos direitos humanos e sociais.

 

A idéia

 

Em 2004 fui a Brasília, lá em uma cidade satélite, Taguatinga, meu tio, Donato de Oliveira, é membro da Academia de Letras de Taguatinga. Tendo publicados vários livros e escrito centenas de músicas.

 

Em 2006 Renato Gomes Soares  lança seu livro “Crônicas de Xinguara”, foi um sucesso. Ele trabalha com assessoria popular, em sua “Casa das Xérox”,  precisando tirar umas cópias de documentos políticos, fui ao local de trabalho dele, lá conversando sobre seu livro, a qual ganhei um autografado,   falei sobe meu tio e sobre a Academia de Letras de Taguatinga e propus a idéia de fundar uma “Academia de Letras de Xinguara” para valorizar a cultura desta terra, desta região.

 

O susto

 

“Renatinho”, como é conhecido o Presidente da ALEX, ficou assustado e ao mesmo tempo entusiasmado com a idéia de ter uma Academia Xinguarense de Letras. E a partir de então, Renatinho passou 4 anos, sonhando, divulgando a idéia, e plantando a sementinha para nascer essa tão esperada entidade.

 

O Reforço

 

E todas as vezes que tinha oportunidade de conversar com o “Renatinho”, sempre tocava no assunto : “...- e a academia vamos fundá-la  ou não?”

 

A decisão

 

Então no fim de janeiro de 2010, numa dessas oportunidades de conversar com “Renatinho”, ele disse:

 

- Vamos nos reunir para fundar a academia “Madeira” (meu sobrenome)?

– Vamos... respondi – Mas que dia? 

- Que tal no dia 04 de março (disse) – é uma quinta-feira!

- ótimo... nesse dia tô na cidade!

- então vou contatar todo mundo e divulgar a data e local.

 

A fundação

 

Chegamos as 19:00 horas na sede a ACIAPA (Associação Comercial de Xinguara), A Diretoria da mesma estava em reunião no auditório com representantes do Serasa, nossa reunião foi transferida para uma sala de expediente da associação.

 

Cada membro fundador tem sua versão do caso, mais vou resumir ao meu. Então, depois de discussões, sugestões e leitura do estatuto foi colocado sobre votação a proposta defendida pela Jornalista Mabia Cristine e por mim, de que as Cadeiras da Academia recebessem o nome dos membros fundadores da mesma, assim homenageando e valorizando a diversidade cultural de nosso país e de nossa cidade. A proposta foi aceita.

 

Todos param, calaram e se olharam. É como se não acreditassem, viram nos rostos de cada um o semblante de um imortal, e aquele momento foi único, mágico.

 

Logo após, veio a escolha dos membros da 1º Diretoria da ALEX, foi sugerido a inscrição de chapas, mas, todos preferiram por aclamação, escolheram “Renatinho” como Presidente, e logo para Secretário  escolheram a mim. Fiquei surpreso, pois, em nosso meio existiam pessoas muito mais qualificadas, no entanto elas mim escolheram e confiaram um cargo tão importante. Fiquei muito honrado e alegre.

 

A importância da ALEX

 

A importância da ALEX  e sem comparativos. Pois, é fruto de um sonho de mais de 6 anos. Onde cada tempo gasto pensando, refletindo e elaborando o projeto foi precioso, e mais precioso foi as pessoas que foram sendo convidadas e que foram aceitando o projeto. Pois, a maior obra prima de nossa academia são nossos sócios e sua bagagem cultural.

 

A importância da Academia de Letras de Xinguara é imensa para nosso desenvolvimento cultura e incentivo a literatura local e regional. A ALEX nasceu com o propósito de elevar o conhecimento da língua portuguesa do nosso povo. A linguagem culta  falada e escrita é termômetro para o grau de desenvolvimento. Contudo, como guardião da cultura, também é dever  da ALEX preservar as diversidades lingüísticas de nossa região, respeitando, catalogando e preservando sua história, seu contexto e suas representações artísticas e folclóricas.

 

E a importância individual para cada membro é subjetiva e pessoal, contudo, ficou expresso no olhar de cada membro fundador a alegria , a honra e a graça de serem os primeiros imortais de nossa cidade. Só este fato, não tem preço, pois, nenhum dinheiro pode comprar a honra, a moral, a ética, o respeito e a imortalidade.

 

E a importância para o povo é ver valorizado os filhos de sua terra. Pois, são pais de famílias, filhos, avós, professores, estudantes, advogados, médicos e muitos outros representados na ALEX e todos unidos pela o amor a “sabedoria”, a  “leitura” e  a “escrita”.

 

 

Gleibson Madeira de Oliveira. Xinguara-PA, 04 de abril de 2010.



Escrito por ACADEMIA XINGUARENSE DE LETRAS às 14h25
[] [envie esta mensagem
] []





Primeira Academia de Letras da PA-279

Intelectuais xinguarenses na foto oficial de fundação da Academia

FUNDADA A ACADEMIA XINGUARENSE DE LETRAS

Um grupo de intelectuais de Xinguara fundou no dia 4 de março corrente a Academia Xinguarense de Letras - ALEX, órgão representativo das manifestações e expressões artísticas, culturais e científicas da comunidade xinguarense, cujo objetivo principal será difundir, estimular e incentivar a cultura das letras em geral, no aspecto exclusivamente literário e cultural em Xinguara e região.

A Assembléia Geral de Fundação foi realizada no auditório da ACIAPA e contou com a presença e participação de escritores, poetas, jornalistas e representantes de outros segmentos da cultura local que assinaram a ata de fundação da ALEX, a primeira academia de letras formada na região da Rodovia PA-279 e no extremo sul do Pará.

A solenidade de fundação da Academia foi coordenada e presidida pelo escritor e poeta xinguarense Renato Gomes Soares, num trabalho de mobilização dos representantes da cultura local, congregando a comunidade dos intelectuais da cidade para juntos criarem uma entidade voltada para a promoção e valorização da cultura literária e demais manifestações artísticas relacionadas à literatura na região.

Depois da aprovação do estatuto foi eleita a primeira diretoria da entidade que ficou composta na seguinte ordem: para o cargo de presidente o escritor e poeta Renato Gomes Soares; no cargo de vice-presidente o escritor e professor Joilson de Castro; secretário, o escritor e jornalista Gleibson Madeira; para o cargo de tesoureira a advogada, escritora e poetisa Rosana Gonçales Fin; diretor da Biblioteca Comunitária, o poeta João Batista Luz; diretor da Oficina do Escritor, o médico, escritor e poeta Wilton Borges Azevedo; assessor jurídico, o advogado Jefferson Coelho Guimarães; na assessoria de imprensa foi eleita a jornalista com formação acadêmica Mábia Cristine Pinto; a coordenação da futura Rádio Cultura de Xinguara, órgão da ALEX, ficou a cargo do poeta Moacir da Conceição Silva. O Conselho Fiscal ficou formado pela professora e poetisa Albertina de Sá Silva, o poeta e compositor Manoel Monteiro e professor e crítico literário Eliude Rocha. A suplência do Conselho Fiscal está formada pelo dramaturgo Gerald Macedo, o professor e crítico literário João Paulo, juntamente com o poeta e professor Laurindo Matias, atual presidente da Fundação Casa da Cultura de Xinguara.

“Essa noite é uma noite histórica para o incentivo à cultura e à literatura em Xinguara. Mais do que uma academia de letras estamos também lançando as sementes e fundando as bases de um grande movimento que fará nascer, crescer e frutificar os inúmeros talentos literários adormecidos em nossa cidade” comemorou Renato Gomes Soares na mensagem de encerramento da solenidade.

Os contatos com a Academia Xinguarense de Letras poderão ser feitos pelo e-mail renatoresolve@hotmail ou pelos fones 94-3426-1551 ou 9153-0710.

 



Escrito por ACADEMIA XINGUARENSE DE LETRAS às 17h06
[] [envie esta mensagem
] []





TIRA-TEIMA DA ACADEMIA

 

Está correto usar a expressão “MUL”

como abreviatura de “município” e “municipal”?

Certo ou não, já virou tradição as prefeituras e servidores municipais abreviarem MUNICÍPIO e MUNICIPAL com três letras: “MUL”. Essa abreviatura está errada! Neste artigo a ACADEMIA XINGUARENSE DE LETRAS esclarece sobre esse impasse tão delicado que divide opiniões unicamente por falta de uma análise mais aprofundada, que seja capaz de elucidar a questão de uma vez por todas.

O certo é que município e municipal trazem a abreviatura “MUN”. É a opinião de Cândido Jucá Filho, membro da Academia Brasileira de Filologia e da Academia Carioca de Letras. De outro lado, a Academia Brasileira de Letras recomenda para abreviatura de municipal as reduções: MUN. ou MUNIC., nunca MUL.

No entender do eminente professor D´Silvas Filho, membro do Conselho Científico da Sociedade da Língua Portuguesa, a regra geral, mas não taxativa, é usar as três primeiras letras na abreviatura de uma palavra, seguidas do ponto que representa a redução feita (ponto indispensável na abreviatura, mas eliminado nos símbolos e quase sempre nas siglas). Assim, na regra geral, é: MUN. a abreviatura de municipal (e também de município). A adoção de MUNIC. pode ser preferível, se no texto puder haver confusão com a abreviatura de munições, igualmente MUN. (citado por FRANCISO BORGES DE SOUZA, Jornal Opção, edição de 06 a 12 de janeiro de 2008)

Indo mais à frente, basta analisar que o substantivo "municipal" foi usado pela 1ª vez no ano de 1422. Em sua forma original, constituía-se na palavra latina "munus, munens". Com o tempo agregou-se ao substantivo o afixo grego "palis", e passou a designar um novo substantivo "município" cujo sinônimo é "grande cidade. No latim, em sua forma original é "municipalis". Municipal deriva de município. A abreviação ocorre porque desde o início, o substantivo deriva de "muner", vindo mais tarde a ser abreviado, baseado em sua derivação.

Para mais esclarecimentos, fale com a ACADEMIA XINGUARENSE DE LETRAS pelo e-mail: academiadexinguara@bol.com.br




Escrito por ACADEMIA XINGUARENSE DE LETRAS às 16h47
[] [envie esta mensagem
] []



 
  [ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]